quinta-feira, 22 de setembro de 2011

PERIDOTO


Conhecida desde 1.500 a.C, a fonte histórica desta bela gema é a Ilha de Zeberget, no Mar Vermelho, localizada próxima à costa do Egito, hoje em dia esgotada.
 A designação peridoto deriva do francês arcaico peritot, de origem incerta. Supõe-se que seja uma corruptela da palavra árabe faradat, significando gema.
Olivina é o termo criado pelo mineralogista A. G. Werner em 1790 e, desde então, utilizado pelos geólogos e mineralogistas para referir-se ao peridoto, devido a suacaracterística cor verde-oliva, mas que pode, igualmente, ser verde amarelada, verde amarronzada ou mesmo marrom. A olivina é, em realidade, um grupo de espécies minerais que têm na forsterita e na fayalita seus membros mais conhecidos.
O peridoto é transparente a translúcido e, por esta razão, normalmente lapidado em facetas. Possui brilho vítreo e, em termos de composição química, trata-se de um silicato de magnésio e ferro que se cristaliza no sistema ortorrômbico.
Apesar do peridoto não ter brilho ou dispersão notável, consegue exercer enorme fascínio sobre o Homem e isto se deve quase unicamente à inimitável exuberância que pode alcançar sua cor, através da qual é facilmente reconhecível.
O peridoto tem ampla ocorrência na Terra e, possivelmente, até dispersa pelo Universo, uma vez que é encontrado com freqüência em meteoritos e foi um dos minerais cujas amostras foram coletadas na Lua pelas missões espaciais norte-americanas Apolo 11 e Apolo 12.
Possui dureza 6 ½ a 7,  o que lhe confere uma certa tendência ao desgaste que, somada a sua fragilidade, faz desta uma das mais delicadas gemas.
O material de qualidade gemológica procede principalmente do Paquistão, Mianmar (ex-Birmânia), China e EUA (Arizona). No Brasil, até onde sabemos, a produção é ocasional e provém das rochas peridotíticas dos municípios de Teófilo Otoni, Conceição do Serro, Patrocínio e Bonsucesso, todos em Minas Gerais.
Exemplares de peridoto com tons muito escuros podem adquirir tonalidades mais claras e atraentes mediante tratamento térmico.
Não há peridoto sintético com produção comercial. No entanto, a forsterita, membro da série da olivina, quando obtida por síntese, tem sido utilizada como substituto da tanzanita.
    www.joiabr.com.br

Um comentário:

  1. Que lindo amiga, adoro a cor verde, amei esta gema. A cor verde na cromoterapia é a cor da saúde, do equilibrio e também do din din, rsrsr.

    ResponderExcluir