segunda-feira, 22 de agosto de 2011

DUAS BOLAS POR FAVOR

Não há nada que me deixe mais frustrada do que pedir sorvete de sobremesa,contar os minutos até ele chegar e aí ver o garçom colocar na minha frente uma bolinha minúscula do meu sorvete preferido.Uma só.
Quanto mais sofisticado o restaurante, menor a porção da sobremesa.
Aí a vontade que dá é de passar numa loja de conveniência, comprar um litro de sorvete bem cremoso e saborear em casa com direito a repetir quantas vezes a gente quiser, sem pensar em calorias, boas maneiras ou moderação.


O sorvete é só um exemplo do que tem sido nosso cotidiano.
A vida anda cheia de meias porções, de prazeres meia-boca, de aventuras pela metade.
A gente sai pra jantar, mas come pouco.
Vai à festa de casamento, mas resiste aos bombons.
Conquista a chamada liberdade sexual, mas tem que fingir que é difícil (a imensa maioria das mulheres continua com pavor de ser rotulada de 'fácil').

Tantos deveres, tanta preocupação em 'acertar', tanto empenho em passar na vida sem pegar recuperação...
Aí a vida vai ficando sem tempero, politicamente correta e existencialmente sem-graça, enquanto a gente vai ficando melancolicamente sem tesão...Às vezes dá vontade de fazer tudo 'errado'.Recusar prazeres incompletos e meias porções.
Até Santo Agostinho, que foi santo, uma vez se rebelou e disse uma frase mais ou menos assim:
'Deus, dai-me continência e castidade, mas não agora'...
Recusar prazeres incompletos e meias porções.
Até Santo Agostinho, que foi santo, uma vez se rebelou e disse uma frase mais ou menos assim:
'Deus, dai-me continência e castidade, mas não agora'...
Nós, que não aspiramos à santidade e estamos aqui de passagem, podemos (devemos?) desejar várias bolas de sorvete, bombons de muitos sabores, vários beijos bem dados, a água batendo sem pressa no corpo, o coração saciado.Um dia a gente cria juízo.
Um dia.
Não tem que ser agora.
Por isso, garçom, por favor, me traga: cinco bolas de sorvete de chocolate, um sofá pra eu ver 10 episódios do 'Law and Order', uma caixa de trufas bem macias e o Richard Gere, nu, embrulhado pra presente.OK?
Não necessariamente nessa ordem.
Depois a gente vê como é que faz pra consertar o estrago  . Danuza Leão


Um comentário:

  1. Adoreiiiiiiiiiiiiiiiii, esse texto é a minha cara.Amo sorvete de paixão e detesto quando vem aquela coisinha perdida no meio de um a enorme taça, fico com cara de criança que pediu um brinquedo e ganhou uma roupinha,kkkkkk. A vida ealmente precisa ser vivida plenamente, nada de meias porções, se está com vontade, tem que ser por completo, para saciar, dar prazer, alegria, encher os olhos, aquecer o coração e fazer o espírito dar pulinhos. Só acredito em felicidade que traz sorrisos aos lábios e repuxa os cantos dos olhos, prazer que vem com etiqueta de "seja moderado" não faz bem pra alma.Para mim felicidade é algo que aquece o meu coração e me faz sorrir como boba, seja por causa de uma comida gstosa, uma conversa interesante,uma viagem ou simplesmente aquele beijo de tirar o folego, o que interessa é que te faça sentir-se viva.Bjkas!!!!!!

    ResponderExcluir