terça-feira, 19 de outubro de 2010

SÃO PAULO MAIS CHEINHA

  Basta um passeio pelas ruas, parques ou corredores de shoppings para notar que os paulistanos estão mais rechonchudos.E não se trata de mera impressão.Segundo pesquisa do Ministério da Saúde em 27 capitais brasileiras, metade da população de São Paulo sofre com excesso de peso.Ou seja, nada menos que 5,5 milhões de pessoas lutam contra a balança.A definiçao de quem faz parte do grupo dos gordinhos é baseada no índice de massa corporal, o famoso IMC.O valor é obtido por meio da divisão do peso pela altura elevada ao quadrado.São considerados saudáveis resultados entre 18,5 e 24,99.Números iguais ou maiores que 25 entram na faixa do sobrepeso.Mais de 30 já é obesidade.O cenário paulistano é um reflexo da tendência mundial de substituir alimentos saudáveis por produtos industrializados e refeições pré-prontas. 
  A combinação de grande oferta de alimentos calóricos, pouca atividade física e stress explica o rápido aumento do número de obesos.O crescimento econômico facilitou a compra de produtos industrializados por todas as classes.
  O paulistano é também o que menos pratica atividade física entre os moradores das capitais pesquisadas.
      Revista Veja

2 comentários:

  1. Putzzz... Estava comentando isso esse fds com uma amiga.

    Sorte q eu me mantenho saudável =)
    kkkkk

    bjxxxx
    @Vampireska

    ResponderExcluir
  2. Os dias modernos, dinâmicos em que vivemos não são apenas maravilhosos....Muitas das coisas que achamos o máximo, como por exemplo, os "fast foods" em primeiro momento são uma maravilha, deliciosos e o melhor, são rápidos. Mas para o corpo, essa rapidez e gostosura equivale a problemas, principalmente os relacionados à obesidade, e ai em diante começam a surgir todos os agregados, tais como, pressão alta, problemas cardíacos, colesterol e tantos outros quer poderia ficar horas aqui citando.
    O que cabe ressaltar aqui é: Podemos comer sim os tais "fast foods", mas, desde que sabemos equilibrá-los com demais hábitos saudáveis e em quantidades toleráveis pelo corpo.

    "O rápido, barato e gostoso pode se tornar problema, caríssimo e fatal!"

    Abraços @rubensstaloch

    ResponderExcluir