quarta-feira, 1 de setembro de 2010

A BELEZA MAIS PODEROSA

  Embora os padrões tenham variado muito, a beleza tem sido valorizada em todas as épocas e todos os lugares.Sua avaliação pode ser altamente subjetiva, e ao mesmo tempo há belezas universalmente reconhecidas.
  É um capital simbólico importante não só, mas principalmente, para as mulheres.A beleza abre portas na vida amorosa e em certas profissões.Depois, é preciso agregar valores como competência e dedicação, para não desvalorizar o capital inicial.
  Dá para entender que as pessoas invistam tempo e dinheiro na aparência.E também a dor de quem não se julga bonito e teme ter menos chances de conquistar coisas significativas.A busca da beleza pode se tornar compulsiva e um fim de si mesma.
  Mas a beleza não é feita só de traços físicos harmoniosos.Tratamentos estéticos ajudam, mas não garantem graça, charme, sensualidade, carisma e simpatia.
  Essas características, que dependem do nosso mundo mental, transformam um rosto mais ou menos ou menos bonitinho: o conjunto se torna atraente.
  O ressentimento torna a expressão sombria.A angústia fecha o semblante.A tristeza turva o olhar.  
  O medo infantiliza, encolhe a postura.O ódio deixa os traços duros, enfeia a pessoa.
  Simpatia e vivacidade têm a ver com estar de bem com a vida.É essencial sentir que o mundo é acolhedor, que algo torce a nosso favor e que nossos sonhos são possíveis.
  Carisma tem a ver com a crença de que os outros interessam mesmo pelo que somos e pelo que temos a dizer.
  São graciosas as pessoas que habitam harmoniosamente seu corpo e se sentem bem na própria pele.
  Sensualidade depende das soluções encontradas desde a mais tenra infância para conflitos inconscientes envolvendo prazer.Depende da convivência amigável entre o Eu, o desejo e o corpo.
  Esses atributos não podem ser treinados na academia nem comprados em lojas de luxo.Têm a ver com uma forma de viver criativa e com o cultivo de relações significativas. O resultado do equilíbrio emocional é uma autoestima suficiente.Não existem receitas, mas ir atrás disso não parece mais consistente e vantajoso do que cuidar só da aparência?
      Marion Minerbo

Um comentário:

  1. Boas palavras, Ro. E eu, esse espetáculo, há muito me valorizo, por assim dizer, pelo conjunto da obra... Vale? kkkkkkkk

    ResponderExcluir